Guardas de combate às endemias protestam no Rio e indicam paralisação dia 28

Servidores na porta do NERJ, antes de saírem em passeata (Foto:Niko)

O Sintrasef e diversas entidades de servidores públicos federais participaram nesta terça-feira (5/3) de protesto e passeata dos guardas e agentes de combate às endemias pelo Centro do Rio.

Com informes à população, os servidores cobraram reajuste da tabela salarial, melhores condições de trabalho e equiparação da gratificação GEACE com o valor da indenização de campo que outras categorias de servidores recebem.  “Queremos a equiparação da GEACE com a indenização de campo, porque assim é um meio de ter melhoria no salário com o aumento de nossas diárias, já que o governo diz que para aumento salarial depende do orçamento”, disse Marco Henrique, servidor da antiga Funasa e diretor do Sintrasef.

Antes da passeata, em assembleia em frente ao prédio do Núcleo Estadual do Rio de Janeiro do Ministério da Saúde, na rua México, os agentes decidiram que um próximo passo do movimento é um indicativo de paralisação das atividades por 24 horas no dia 28 de março.

 

Apoio popular

 

Durante a passeata entre as regiões da Cinelândia, Carioca e Castelo os servidores receberam aplausos da população quando pararam em frente às sedes da assembleia legislativa do Estado e do Ministério Público Federal para cobrarem acordos não cumpridos, alguns já determinados pela própria Justiça.

“A população apoia os guardas de combate às endemias porque sabe que são eles que debelam o mosquito da dengue e de outras doenças “, disse Edna Theodoro, diretora do Sintrasef e servidora do Ministério da Saúde. Para ela, além de reajuste salarial justo, a maior necessidade dos agentes “é o cuidado com a própria saúde, pois falta acesso ao Equipamento de Proteção Individual (EPI) e a exames periódicos, hoje não completamente disponibilizados pelas prefeituras às quais os servidores estão cedidos”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *