Servidores abraçam o Into em defesa dos hospitais públicos. Quinta-feira (9/5) é a vez do INC!

Representantes do Sintrasef, Saúde e Educação durante o “abraço” no Into (Fotos: Rodrigo Otávio)

O Sintrasef e os servidores da Saúde deram mais uma demonstração de força, nesta terça-feira (7/5), contra os planos do Ministério da Saúde de fatiar ou privatizar a gestão de rede de hospitais federais na cidade do Rio de Janeiro. Desta vez o protesto foi em forma de um grande abraço dos servidores no prédio do Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into), na Avenida Brasil, no Caju.

Os pacientes que entravam e saíam do hospital aderiram aos lemas ““A nossa luta é todo dia, porquê saúde e educação não são mercadorias!” e “O SUS é nosso! Ninguém tira da gente, direito garantido não se compra e não se vende!”, sabendo a importância da luta dos servidores por um SUS 100% público, sem custos para a população.

A crescente mobilização dos servidores da Saúde junto à outras categorias, como os servidores da Educação, que também abraçaram o Into, e a população, mostram ao governo que é hora de cumprir as demandas e pendências da categoria. Além da manutenção dos hospitais integralmente no Ministério da Saúde, os servidores pedem o pagamento do piso salarial da enfermagem em valores integrais e o enquadramento na carreira da Ciência e Tecnologia.

“Queremos um concurso público com base na carreira que este instituto merece após toda a luta que tivemos pela Ciência e Tecnologia de nosso paìs. O presidente Lula disse que iria garantir a excelência da Ciência e Tecnologia, então cobramos essa reconstrução pela valorização da instituição e sobretudo dos servidores, para garantir a saúde de alta qualidade aos usuários”, disse Edna Theodoro, servidora do Into e diretora do Sintrasef, durante o abraço.

 

Risco para todos

 

O próximo passo do calendário em defesa dos hospitais públicos é nesta quinta-feira (9/5), com um ato às 9h30, na porta do Instituto Nacional de Cardiologia (INC), em Laranjeiras. Haydée Lopes, diretora do Sintrasef e servidora do Instituto Nacional do Câncer (Inca), ressalta que os servidores devem seguir em movimento de adesão aos protestos. “Os servidores entendem que há um risco iminente de mudanças estruturais que podem prejudicar as suas carreiras. Mudança de modelo jurídico é sempre um risco de enfraquecimento do SUS para servidor e para o paciente. Então é importante esse movimento de aumento de engajamento de todos os servidores, principalmente os mais jovens”.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *