O Ministério da Economia pediu a suspensão de um site falso registrado no exterior que coleta informações de usuários e senhas do Sistema de Gestão de Acesso do Governo Federal (Sigac). O sistema permite que gestores alterem dados do funcionalismo federal.

O problema é que o login único do Sigac também permite o acesso ao Sigepe. Nesse sistema, os servidores federais do Poder Executivo (ativos e inativos), funcionários de estatais e pensionistas obtêm informações sobre contracheques e férias, baixam comprovantes do Imposto de Renda e atualizam ou alteram dados cadastrais.

O alerta foi publicado pela Secretaria de Gestão e Desempenho de Pessoal do Ministério da Economia. O endereço falso é o “sigacgestor.com”. O site verdadeiro do Sigac (https://sso.gestaodeacesso.planejamento.gov.br/) está em fase de transição para o novo sistema SouGov.br.

A secretaria do Ministério da Economia orienta os servidores federais a digitar o CPF e a senha do Sigac somente em páginas que tenham o domínio gov.br ou em aplicativos baixados da loja virtual oficial do governo. Caso alguém tenha inserido os dados no site falso, o órgão pede a troca imediata da senha do Portal Gov.br e dos sistemas Sigac/Sigepe.

Em caso de dúvidas, os servidores públicos devem entrar em contato com a Unidade de Gestão de Pessoas do seu órgão ou com a Central de Atendimento Sipec, no telefone 0800-978-9009. A central também pode ser acessada pela internet.

Crime

A prática de coletar informações através de sites espelhos ou clonados, para obter vantagens financeiras, ou acessar informações sigilosas e bancárias, é um crime virtual conhecido como phishing.

Os crimes de phishing vão além de sites falsos, podem chegar até o usuário via e-mail, SMS, ligações, pop-ups falsos em sites desprotegidos, patrocínio de redes sociais, links, marketplaces das redes sociais, etc. Cada dia que passa, os criminosos digitais vão ficando mais sofisticados e trabalhando novas técnicas para roubar dados com crescimento do meio digital.

É importante entender que o grande objetivo dos sites falsos é assumir uma identidade que não é deles para enganar, então estão sempre se passando por outra empresa.

Então, a fraude vai tentar se parecer muito com os dados da empresa, alterando pequenos detalhes para pegar o consumidor pela distração. A principal forma de fazer isso a alterar pequenas letras ou caracteres da empresa conhecida como, por exemplo, “casas_bahia” ou “receitaafederall”. Nesse tipo de golpe os domínios são muito parecidos com domínio original da empresa ou instituição clonada.

Proteção

Para se proteger, algumas dicas importantes são:

– Use um bom antivírus;
– Nunca execute nada em seus dispositivos (executar é baixar arquivo e abrir);
– Não atualize softwares recebidos por links ou e-mails;
– Preste atenção! O sucesso do site falso é falta de atenção e cuidado, que pode levar você a uma situação de risco com acesso de seus dados. (Com agências)

By Imprensa

O Sintrasefe – Sindicato dos Trabalhadores do Serviço Público Federal no Estado do Rio de Janeiro – foi fundado em 26 de setembro de 1989. Entidade sindical representativa dos servidores públicos federais da administração direta e indireta no Estado do Rio de Janeiro, o Sintrasefe tem em sua base cerca de 250 mil servidores, dos quais 35 mil estão filiados, distribuídos em cerca de 60 órgãos públicos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *